“Enquanto a sociedade feliz não chega, que haja pelo menos fragmentos de um futuro em que a alegria é servida como sacramento, para que as crianças aprendam que o mundo pode ser diferente. Que a escola, ela mesma, seja um fragmento do futuro...” (Rubem Alves)





.

Meus Oito Anos


Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência!
- Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar - é lago sereno,
O céu - um manto azulado,
O mundo - um sonho dourado,
A vida - um hino d'amor!

Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!

Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
- Pés descalços, braços nus -
Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais! -
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

[Casimiro de abreu]






Time, O tempo.




Time é uma música da banda inglesa Pink Floyd. Lançado em 1973 no disco The Dark Side of the Moon.

A letra é de Roger Waters, ex- baixista vocalista e autor da maioria das músicas de sucesso do Pink Floyd. Segundo Waters: “muitas pessoas tem o pensamento de que um dia vão começar a viver e precisam preparar-se para isso. Mas elas não perceberam que a vida já começou e temos a chance de torna-la algo maravilhoso”.



Rick Wright, Roger Waters, Nick Mason, Dave Gilmour. 1973

Show PULSE 1994. Legendada em português. Vale a pena conferir!!!

video


O despertador no início da música trás uma mensagem como : “Acorda! A vida está passando e você não está percebendo”, dando uma idéia do tema.
A letra fala de uma pessoa jovem que vive no seu mundinho de bobeira, aguardando por alguém que mostre um caminho a seguir, e esperando chegar um dia em que as coisas vão melhorar.
A pessoa vive nessa ilusão e como é jovem diz: “Eu sou jovem e a vida é longa. Há tempo para matar hoje” , mas ainda não percebeu que o tempo passa muito rápido, e que a vida é algo precioso demais para ser jogado fora de qualquer maneira.
Quando percebe, já se passaram dez anos, e como ninguém “deu um toque”ela perdeu o tiro de largada, então terá que “correr atrás do prejuízo”. Mas como já está mais velha, a pessoa descobre que por mais que ela busque aproveitar a vida, já não terá as mesmas oportunidades que teve antes. Ela vai tentando, mas o tempo não perdoa ninguém e ela está cada vez mais próxima da morte.
Como todos ela passa a ter a sensação de que cada ano está ficando mais curto, e que o tempo esta passando cada vez mais rápido. Ela corre para buscar o seu lugar ao sol, mas está chegando o dia em que o sol vai continuar lá, mas ela não estará mais.
Essa música é muito profunda, e tem a capacidade de mexer com as pessoas, nos fazendo refletir sobre muitas coisas, principalmente com a maneira que levamos a vida. Ninguém é eterno! Acredito que a pessoa deva procurar viver a vida da melhor maneira. Não se estragando com coisas prejudiciais achando que está aproveitando a vida, e nem seguindo o embalo dos outros achando legal o que a maioria acha. Mas sim descobrindo coisas novas e fazendo as coisas que quer fazer enquanto tem oportunidade, porque a vida passa muito rápido, e até para aqueles que buscam aproveitar, ela pode acabar a qualquer momento!

Letra:
Ticking away the moments that make up a dull day
You fritter and waste the hours in an offhand way.
Kicking around on a piece of ground in your home town
Waiting for someone or something to show you the way.

Tired of lying in the sunshine
staying home to watchthe rain.
You are young and life is long
and there is time tokill today.
And then one day you find
ten years have got behind you.
No one told you when to run,
you missed the startinggun.

And you run and you run to catch up with the sun but it's sinking
And racing around to come up behind you again.
The sun is the same in a relative way but you'reolder,
Shorter of breath and one day closer to death.

Every year is getting shorter
never seem to find the time.
Plans that either come to naught
or half a page ofscribbled lines
Hanging on in quiet desparation
is the English way
The time has gone,
the song is over,
Thought I'd something more to say.


The dark side of the moon
video

Variações Linguísticas


Existem três tipos de variações lingüísticas: diatópicas, diafásicas e diastráticas, alguns autores incluem a variação diacrônica.

A variação diatópica é a variação regional. É uma mesma língua sendo falada de forma diferente dependendo da localidade.

A variação diafásica é a variação que ocorre em situações de fala. A mesma pessoa muda a sua maneira de falar dependendo do ambiente (formal ou informal).

A variação diastrática ocorre nos grupos sociais, nas comunidades. Por exemplo: os advogados, os surfistas, os religiosos, os bandidos, etc.

A variação diacrônica ocorre através do tempo. São as pessoas do mesmo grupo social ou da mesma região mudando a maneira de falar com o decorrer dos anos.

Entender as variações lingüísticas é importante porque mostra às pessoas que elas não devem ser preconceituosas quando ouvirem alguém falar diferente.

O Menestrel




Depois de algum tempo você aprende a diferença,


a sutil diferença


entre dar a mão e acorrentar uma alma.



E você aprende que amar não significa apoiar-se.


E que companhia nem sempre significa segurança.



Começa a aprender que beijos não são contratos


e que presentes não são promessas.



Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,


com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.



Aprende a construir todas as suas estradas no hoje,


porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,


e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.




Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.


E aprende que, não importa o quanto você se importe,


algumas pessoas simplesmente não se importam…



E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,


ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.



Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.



Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…


E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida.



Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.



E o que importa não é o que você tem na vida,


mas quem você tem na vida.


E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.


Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…


Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,


ou nada, e terem bons momentos juntos.



Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa…


por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas;


pode ser a última vez que as vejamos.



Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós,


mas nós somos responsáveis por nós mesmos.



Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,


mas com o melhor que pode ser.



Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,


e que o tempo é curto.




Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo…


mas, se você não sabe para onde está indo,


qualquer caminho serve.




Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão…


e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade,


pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,


sempre existem, pelo menos, dois lados.



Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,


enfrentando as conseqüências.



Aprende que paciência requer muita prática.



Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute


quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.



Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve


e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.



Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.




Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…


Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.



Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,


mas isso não te dá o direito de ser cruel.



Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer


que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,


pois existem pessoas que nos amam,


mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.




Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…



Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.



Aprende que com a mesma severidade com que julga,


você será em algum momento condenado.


Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,


o mundo não pára para que você o conserte.



Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.



Portanto, plante seu jardim e decore sua alma,


em vez de esperar que alguém lhe traga flores.



E você aprende que realmente pode suportar…


que realmente é forte,


e que pode ir muito mais longe


depois de pensar que não se pode mais.


E que realmente a vida tem valor


e que você tem valor diante da vida!



Nossas dúvidas são traidoras


e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar


se não fosse o medo de tentar.